Pesquisa atual: "Perspectivas e práticas decoloniais na educação superior em música no Brasil"

Atualizado: 4 de nov. de 2020

Este é o meu projeto de pesquisa atual de pesquisa. O trabalho tem financiamento do CNPQ e é parte das minhas atividades desenvolvidas como bolsista de produtividade da Agência. A pesquisa foi iniciada em fevereiro de 2020 e será concluída até janeiro de 2023. O estudo proposto neste projeto emerge de uma trajetória de pesquisas e estudos diversos constituída ao longo de quinze anos de atuação como pesquisador profissional no âmbito da educação musical e da etnomusicologia no Brasil. Com base em um corpus de conhecimento produzido em diferentes pesquisas concluídas no cenário nacional, este trabalho se propõe a avançar no estudo, análise e crítica da realidade da educação superior em música, considerando a conjuntura desse nível de formação musical na atual realidade do país, sobretudo no que tange ao seu diálogo com dimensões mais abrangentes da cultura brasileira.



A proposta apresentada no projeto da continuidade ao trabalho de pesquisa de pós-doutorado realizado entre 01 agosto de 2018 e 31 de julho de 2019 na Universidade do Texas (Texas University of Texas at Austin), Austin, Estados Unidos. Esse estudo permitiu a coleta de um amplo material bibliográfico e documental, contanto com o sistema de bibliotecas, acervos digitais sonoros, entre outros arquivos disponíveis na Butler School of Music, Instituição de destaque no cenário norte-americano e internacional, o do Teresa Lozano Long Institute of Latin American Studies (LLILAS) –centro especializado em estudos da cultura latino-americana.


Considerando os resultados obtidos na pesquisa anterior e o amplo material bibliográfico e documental coletado durante tal estudo, que ainda precisa passar por um processo sistemático de análise, concebo essa proposta de pesquisa com vistas a continuar imergindo no universo de educação superior em música no Brasil. Assim viso problematizar questões vinculadas esse nível de ensino na contemporaneidade a partir de dimensões histórico-culturais que caracterizaram a institucionalização da música e de seus processos de formação no contexto nacional. O trabalho aqui proposto considera uma conjuntura histórico-social que teceu para a América Latina em geral, e para o Brasil de forma mais específica, referências e modelos econômicos, educacionais, artísticos e culturais de forte impacto na atualidade. Aspectos que, definidos principalmente a partir das realidades dos países europeus, responsáveis por processos perversos de colonização no continente latino americano desde o século XVI, sucumbiram idiossincrasias locais e definiram bases que, ainda hoje, sustentam pilares importantes da sociedade brasileira.


Nesse universo se insere a problematização que compõe este projeto, considerando especificamente o contexto da institucionalização do ensino de música na educação superior do Brasil e as estratégias de rupturas e redefinições que vêm sendo incorporadas na atualidade. Dessa forma, a pesquisa considera as singularidades de um contexto de formação em música que foi historicamente impactado por traços de colonialidade advindos da música europeia de concerto, mas que também tem sido ao longo dos últimos anos problematizado pelas demandas sociais, as reconstruções epistemológicas no âmbito da música e as politicas afirmativas vinculadas à educação superior do século XXI.


Dentro do amplo universo da diversidade que marca a música na cultura brasileira e da multiplicidade de conhecimentos e saberes que constituem a educação superior em música no Brasil, elegi como foco dessa investigação, a análise das estruturas curriculares dos cursos de graduação, bacharelado e licenciatura, buscando compreender de que forma tais cursos têm incorporado às suas propostas formativas estratégias decoloniais de formação em música. O problema de pesquisa proposto aqui faz um contraponto a análises realizadas anteriormente que identificaram fortes traços de colonialidade nesse nível de ensino, mas que também sinalizaram para novos direcionamentos que vêm sendo crescentemente implementadas nas diferentes realidades de ensino de música na educação superior do país. Nesse sentido, transcendendo os estudos anteriores centrados na compreensão da forte dominação colonial que permeia a educação superior, essa nova proposta se atém ao entendimento das reações decoloniais que vêm sendo propostas para o ensino de música nas universidades brasileiras.


Os pressupostos assumidos nesta introdução para a apresentação do tema e a composição dos pilares centrais do problema a ser investigado, são sustentados teoricamente ao longo do projeto por bases epistemológicas transdisciplinares que abordam dimensões teóricas fundamentais para a abordagem do tema estudado. Dessa forma, a partir dos suportes epistemológicos que fundamentam esta estudo e do estado do conhecimento produzido sobre o tema, tem sido possível evidenciar de forma mais precisa os meandros da pesquisa e a avanço do conhecimento que emergirá do processo investigativo.


Qualificação do principal problema a ser abordado

A partir dos pressupostos teóricos que dão suporte ao trabalho, das bases epistemológicas que orientam os conceitos centrais em torno da pesquisa proposta e da análise da literatura relacionada ao tema investigado neste projeto, definimos para essa pesquisa o seguinte problema de pesquisa: Quais perspectivas e estratégias decoloniais têm sido incorporadas aos currículos de cursos de bacharelado e licenciatura em música de universidades das cinco regiões do Brasil?


Objetivos

Objetivo geral


Compreender como os currículos de música no Brasil têm incorporado perspectivas e estratégias decoloniais de formação em música na contemporaneidade.


Objetivos específicos


Verificar fatos, características e tendências que caracterizaram traços da colonialidade na cultura musical no Brasil, considerando dimensões mais amplas da cultura nacional em geral e analisando os impactos dessa realidade na expressão musical do país na contemporaneidade;


Verificar fatos, características e tendências do processo de institucionalização do ensino de música no Brasil, suas relações com as dimensões da colonialidade que marcaram o país e seus impactos na educação superior em música vigente;


Verificar dimensões histórico-culturais que marcaram inserções, legitimações e exclusões de determinadas culturas musicais no âmbito da educação superior em música no Brasil;


Verificar bases importantes para a educação superior na contemporaneidade a partir das perspectivas interculturais da sociedade contemporânea, das políticas afirmativas que caracterizam tal contexto e das redefinições propostas para o cenário do século XXI;


Verificar, nesse contexto, quais conhecimentos, saberes e estratégias diversas de ensino e aprendizagem de música têm sido incorporadas a fim de romper com a dominação colonial nos currículos de música.


Contribuições científicas do projeto e resultados esperados

Este projeto trará contribuições importantes para a compreensão de nuances que caracterizam a educação superior em música no Brasil, evidenciando, a partir de uma análise da conjuntura atual desse nível de ensino, perspectivas e práticas de formação centradas em pilares conceituais e pedagógicas que transcendem o universo da música clássica produzida na Europa do passado ou derivada dessa. Indo além do levantamento e da análise dos problemas que permeiam o ensino de música nessa realidade, o projeto revelará inovações, avanços e tendências que, na contramão da colonialidade hegemônica, tem resignificado a educação superior em música no Brasil.


O estudo aprofundará conceitos e perspectivas fundamentais para refletir acerca da música e da formação em música na atualidade, tendo com base as singularidades do ensino institucionalizado de música no Brasil. A partir do avanço epistemológico que emergirá da pesquisa, será possível a condução de análises inovadoras da atual conjuntura da educação superior em música no Brasil, identificando mudanças e perspectivas decoloniais que vêm sendo implementadas na atual realidade do país.


É valido destacar ainda que ao avançar em pilares conceituais relacionados à música, colonialidade, decolonialidade, diversidade, entre outros campos conceituais correlatos, a pesquisa tratará importantes contribuições para o fortalecimento desse debate na área de música. Debate que como evidencia a literatura analisada anteriormente, tem uma inserção ainda embrionária no âmbito do conhecimento científico musical produzido no Brasil.


O avanço conceitual de temas relevantes para pensar a música e a formação musical na educação superior será somado a uma análise consistente de aspectos históricos e dimensões sociais que marcaram a trajetória do ensino de música institucionalizado no Brasil, evidenciando inclusões, exclusões e outras marcas tecidas pela colonialidade que delineou tal processo no país. Esse também é um debate que, embasado em fatos e estudos científicos, ainda é demasiadamente incipiente no âmbito da área de música.


Além disso, de forma mais específica, o trabalho propiciará o aprofundamento no debate sobre educação superior em música no Brasil sob um viés diferente das abordagens realizadas, colocando no foco da reflexão da área uma rica realidade empírica que ainda é negligenciada pelo escopo dos estudos realizados na área.

203 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo